Notícias

Filtro por empresas

Redação - 05/07/2018

Teleatendimento: nova proposta é aprovada pelos trabalhadores

Os teleoperadores de São Paulo aprovaram, por grande maioria, a nova Convenção Coletiva de Trabalho da categoria. O Sintetel realizou assembleias em empresas de todo o estado de São Paulo em 04 e 05 de julho.  Para quem não pôde comparecer nessas assembleias ou para quem trabalha em sites menores, também foi realizada votação na sede do Sintetel na noite desta quinta-feira, 05.

Além do reajuste e abono compensatório, a proposta aprovada traz um aumento acima da inflação nos benefícios. O Sintetel também conseguiu evitar que fossem adotadas mudanças da reforma trabalhista que prejudicavam os trabalhadores. A data-base do segmento passará a ser 1º de janeiro.

As empresas do setor adotarão duas formas diferentes de implantar os reajustes da nova Convenção. Os dois casos possíveis estão explicados abaixo. Consulte o RH para saber qual forma será adotada em sua empresa. 

Veja a proposta aprovada pelos trabalhadores nas assembleias

TRABALHADORES QUE GANHAM O PISO 
1º caso: ajuste ao valor do salário mínimo de 2019 em janeiro + pagamento de abono indenizatório no valor de R$ 204 a ser creditado em julho/2018. Como farão as empresas Atento, AlmaViva, Fidelity, LIQ, BrasilCenter, entre outras.

2º caso: ajuste ao valor do salário mínimo de 2018 em julho/2018 + pagamento de abono indenizatório no valor R$ 102 a ser creditado em julho de 2018. Como fará a Teleperformance, por exemplo.

TRABALHADORES QUE GANHAM ACIMA DO PISO*
1º caso: reajuste salarial de 1,81% em janeiro de 2019 + pagamento de abono indenizatório equivalente a 10,86% do salário nominal. Como farão as empresas Atento, AlmaViva, Fidelity, LIQ, BrasilCenter, entre outras.

2º caso: reajuste salarial de 1,81% em julho de 2018 + pagamento de abono indenizatório no valor de R$ 102. Como fará a Teleperformance, por exemplo.

*não inclui trabalhadores que recebem o piso, diretores, superintendentes, gerentes, coordenadores, devendo ser respeitada a política interna da empresa. 


VA/VR: reajuste de 2% a partir de julho/2018 (acima da inflação).

Auxílio Creche: reajuste de 2% a partir de julho/2018 (acima da inflação).

PPR/PLR 2017
Valor de R$ 100 até níveis abaixo de gerente. Mesma regra do ano passado, considerando a meta financeira e absenteísmo pago em julho/2018 (para as empresas que atingiram as metas e que ainda não pagaram o programa).

Dias abonados por acompanhamento de filhos até 12 anos:
De 6 para 7 dias por ano para trabalhador com 1 filho
De 8 para 9 dias por ano para trabalhadores com 2 ou mais filhos
De 5 para 6 dias por ano para trabalhadores com filhos excepcionais (sem limites de idade).

Licença falecimento: passa de quatro para cinco dias

Estudo VR/VA: As empresas se comprometeram a realizar estudos a fim de se esforçar para reajustar os valores do VR/VA a partir de janeiro/2019.

Manutenção das demais cláusulas da Convenção Coletiva anterior.

Histórico
As empresas deram como final a proposta apresentada na última reunião de junho. Em seguida, os trabalhadores avaliaram e responderam com um sonoro “NÃO” aos patrões. Com a recusa, ficou aprovado também o indicativo de greve no segmento. As empresas se sentiram pressionadas, voltaram à mesa de negociações e apresentaram uma nova proposta. 

Estão envolvidas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) as empresas Atento, AlmaViva, Liq/Contax, NeoBPO, Teleperfmance, Fidelity, Mapfre, Parla, SIS, entre outras.